Suspeita de fraude na Saúde de Peruíbe

Munícipes denunciam ao MP indícios de pagamentos e contratações fraudulentas desde 2015.

Da Redação
Por Claudete Andreotti/Boca de Rua e
Sidney Cley/aVOZ do Litoral Sul


Indignadas com a precariedade e descaso com a Saúde Pública da Cidade, munícipes de Peruíbe, Litoral Sul de São Paulo, encaminharam denuncia ao Ministério Público com indícios de pagamentos e contratações fraudulentas na Saúde do município desde 2015.

Tudo começou em maio de 2015 quando uma paciente fez uma denúncia ao blog Boca de Rua, sobre o médico Wilbert Edwin Gonzzales Castillo, pois, o atestado para ela por dois dias foi emitido por um profissional inativo conforme verificado no site do CREMESP. A pergunta que fica é, como a UPA de Peruíbe contrata um médico impedido de exercer a profissão?

Segundo informações neste mesmo ano um médico teria recebido por três a quatro meses sem nunca ter estado em Peruíbe, sequer sabia que Peruíbe existia até ser pego na Malha Fina da Receita Federal, quando ele foi chamado nas dependências da Receita Federal para explicar o porquê de não ter declarado tamanha quantia de recebimento, ele informou a Receita que nunca tinha ouvido falar em Peruíbe.

Em reportagem investigativa, após dias colhendo informações, depoimentos e verificação da veracidade do material, conseguimos documentos conclusivos para esclarecer o caso, em parceria com o blog Boca de Rua, apuramos o restante dos documentos para elucidar de vez o caso que vem se arrastando desde 2015 quando a atual Secretária da Saúde Mariana Cardoso Maia Trazzi era diretora da Unidade de Pronto Atendimento de Peruíbe, e o Secretário da Saúde à época era o Dr. Marco Botteon Neto. A contratação deste médico foi feita em 2015 pela Dra. Mariana, diretora da UPA, porém, neste período o médico estava clinicando em Rondônia e Acre.

Recebimentos na UPA de Peruíbe – Conforme documentos apurados, há fortes indícios de uma grande fraude na saúde da Cidade, uma vez que nesse período em que o Dr. Wilbert Castillo esteve recebendo em Peruíbe, mas, estava prestando serviços em Rondônia e Acre. (veja o quadro)

Denúncia – Inconformadas com o desperdício de dinheiro e com o caos na saúde pública da Cidade, as munícipes Cláudia Dib (jornal a VOZ do Litoral Sul) e Claudete Andreotti (Boca de Rua) ofereceram ao Ministério Público denúncia de Improbidade Administartiva, Fraude em contratação e Associação Criminosa face de: Ana Maria Preto, Luiz Mauricio Passos de Carvalho Pereira, Marco Botteon Neto, Mariana Cardoso Maia Trazzi, Genivaldo dos Santos, Ana Paula Farias de Oliveira, Antônio Carlos Abude, Wilbert Edwin Gonzales Castellor e Lee Boris Flores Orellana.

A denúncia foi devidamente protocolada nas três esferas Judiciais, Ministério Público, Seccional de Itanhaém e Tribunal de Contas, há indícios que a fraude montada apurou em apenas três meses, supostamente recebendo pelo médico a quantia de R$ 176.252,96 (cento e setenta e seis mil, duzentos e cinquenta e dois reais e noventa e seis centavos), uma verdadeira farra com o dinheiro público.

Onipresente – Conforme pudemos apurar e atestar com Certidão atualizada emitida através do Conselho Regional de Medicina do Acre, em 27 de Agosto de 2019, o referido médico estava em Rio Branco, habilitado legalmente para o exercício da medicina. Ou seja, se o Dr. Wilbert Edwin Gonzales Castellor estava a 3.630 Km, como estaria recebendo e clinicando em Peruíbe?

Para realizar o recebimento criaram um falso médico, Dr. Lee Boris, uma “figurinha” carimbada pela Polícia de Mairinque e Sorocaba. Por meio de Declaração, que alguém assinava pelo médico Wilbert e autoriza o chefe de uma quadrilha a receber por ele da prefeitura de Peruíbe, o recebimento foi feito por cheque endossado no verso por alguém que se fez passar pelo médico. O falso médico Lee Boris, fazia parte de um esquema criminoso que desencadeou na Polícia Federal a Operação “Placebo”, ou seja, neste período Lee Boris era foragido da Polícia.

Ainda sobre os recebimentos, a Dra. Mariana Trazzi assinava por procuração com o aval de Genivaldo dos Santos, os recebimentos de Wilbert Castillo, a reportagem apurou 15 “Atestados de Execução de Serviços Médicos”, todos eles com plantões seguidos de 12 e 24 horas, humanamente impossível alguém fazer tantos plantões ininterruptos, sem nenhum intervalo de descanso. É de se estranhar que a gestora da administração anterior não “percebeu” estas irregularidades, assim como não foi percebida pelo atual prefeito e seus secretários de saúde.

De olhos fechados – Enquanto em Peruíbe nada se via, a cidade de Mairinque, interior de São Paulo, agiu corretamente indo para a Justiça, Peruíbe se calou diante desse crime, na gestão anterior e continuou calada em 2017, 2018 e 2019, pois, a mesma contratante, Dra. Mariana, assumiu o cargo de Secretária da Saúde, com todo esse Histórico, e quando ocorreu toda essa fraude o atual prefeito e o vice-prefeito eram vereadores “atuantes” na Câmara, onde eles estavam que não fiscalizaram tudo isso? Assumiram o Executivo e permaneceram de olhos fechados, abafando o caso. Neste período, houve uma Denúncia do Boca de Rua no GAECO em Santos a respeito desse caso, porém, não tinha documentos algum para comprovar, somente que o médico estava inativo e contratado na UPA, somente isso, talvez não houve interesse em investigar um crime dessa magnitude.

“Foi muito dinheiro escoado para o ralo de pessoas de conduta incorreta com a administração, principalmente na área da Saúde, acho que potencializa o crime quando se trata de vida, quando se trata de tirar dinheiro de um setor nevrálgico como é a Saúde. Todos esses envolvidos, direta ou indiretamente, terão que ser punidos de maneira exemplar, jamais poderão ficar impunes, o CRIME NÃO PODE SEMPRE COMPENSAR QUE SEJA COMETIDO, ainda mais na Saúde, um tumor virulento prestes a explodir. O que mais deixou o BOCA DE RUA indignado foi que não houve nenhuma reação à nível de justiça por parte da ex Secretária da Saúde, Michele dos Santos ( 2016 ) que sucedeu ao ex Secretário da Saúde Marco Botteon Neto ( 2015/2016), não houve, sequer, uma denúncia por parte do ex secretário da Saúde, ABUDE (2017 ) , dessa Gestão, bem como o Chefe de Gabinete assumiu na condição de SECRETÁRIO DA SAÚDE interinamente e com o auxilio da DRA MARIANA TRAZZI, também omitiu tamanho crime e pensar que o BOCA DE RUA sempre questionava ao chefe de gabinete como estaria a Denúncia que o BOCA DE RUA tinha feito no GAECO EM SANTOS o chefe de gabinete sempre se fazendo de, ” não sei de nada”, por que tem alguma denúncia da Dra Mariana no GAECO em Santos?” Desabafa Claudete Andreotti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!