“CRITÉRIOS OBSCUROS” ADOTADOS NO SISTEMA ANCHIETA-IMIGRANTES SERÃO PAUTA DE CPI

Um pedido de Comissão Parlamentar Inquérito para entender algumas questões administradas pela Ecovias foi protocolizado na última segunda-feira (18), na Assembleia Legislativa

Por conhecer e utilizar o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), o deputado estadual Paulo Corrêa Jr (PATRI) decidiu criar e protocolizar, na última segunda-feira (18) na Assembleia Legislativa, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a administração, concedida à Ecovias desde 1998, sendo a responsável pela exploração e manutenção do rodoviário.

O objetivo da CPI é entender algumas questões que não são esclarecidas a anos para a população, como por exemplo o constante aumento no preço do pedágio e onde esse dinheiro está sendo aplicado, mesmo após 21 anos de administração da empresa.

Outra questão a ser apurada são os critérios, que segundo Corrêa Jr são obscuros, usados para implantar as operações Comboio, Descida e Subida. “Nunca entendi como uma operação, que foi feita para ajudar a população, na verdade mais atrapalha, principalmente os moradores da Baixada Santista, que ficam horas presos no Sistema”, contou o parlamentar.

“Decidi instaurar essa CPI por morar na Baixada Santista e trafegar quase que diariamente pelo Sistema Anchieta-Imigrantes. Assim como eu, os cidadãos têm diversas dúvidas e precisam receber esclarecimentos. Por isso pretendo pedir contratos e aditamentos da empresa para analisar tudo o que vem sendo feitos nesses últimos anos”, concluiu o deputado estadual.

Requerimento

Além de protocolizar o pedido de CPI, Paulo Corrêa Jr apresentou um requerimento na Alesp, solicitando que o diretor geral da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP), Giovanni Pengue Filho, responda como é feita a gestão do Sistema Ancheita Imigrantes (SAI) junto a ECOVIAS.

O deputado estadual também solicitou uma cópia do contrato de concessão, bem como os demais documentos aditivos existentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *