Locação no Litoral aumenta até 139,64% para Natal e Ano Novo

Um aumento de 139,64% é o que espera quem pretende passar os feriados de Natal e Ano Novo em casas de 2 dormitórios em cidades como Guarujá e Santos, no Litoral de São Paulo. Esse tipo de imóvel, que era alugado em média por R$ 338,00 diários no mesmo período do ano passado, este ano está custando R$ 810,00 por dia de locação segundo pesquisa feita com 30 imobiliárias de 12 cidades pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CreciSP).

É o maior aumento entre os 13 registrados pela pesquisa em um total de 24 tipos de imóveis em oferta nessas imobiliárias. No Litoral Norte, muito disputado por causa das praias de cidades como Ubatuba e Ilhabela, foram as diárias dos apartamentos de 3 dormitórios que dobraram de preço. O valor médio subiu de R$ 566,00 em 2017 para  R$ 1.300,00 este ano, alta de 129,68%. Em Praia Grande e Itanhaém, no Litoral Sul, a diária dos apartamentos de 3 dormitórios dobrou em relação aos valores médios cobrados no passado, de R$ 400,00 para R$ 800,00.

Foi no Litoral Norte que a pesquisa CRECISP registrou a maior incidência de aumentos das diárias, seis em sete tipos de imóveis disponíveis para locação. Na comparação com o ano passado, o valor médio do aluguel diário de casas de 2 dormitórios aumentou 15,98% (de R$ 682,00 para R$ 791,00); o das de 3 dormitórios subiu 24,7% (de R$ 882,00 para R$ 1.100,00); e o das de 4 dormitórios ficou 21% mais caro (de R$ 1.400,00 para  R$ 1.694,00).

Os apartamentos também estão sendo ofertados com diárias mais altas que no Natal e Ano Novo de 2017. A dos imóveis com 1 dormitório subiu 13,43% (de R$ 387,00 para R$ 439,00);  os de 2 dormitórios aumentaram 4,82% (de R$ 456,00 para R$ 478,00); e os de 3 dormitórios foram os que tiveram a maior alta entre todos os tipos de imóveis pesquisados  – 129,68% (de R$ 566,00 para R$ 1.300,00).

“O Verão é a época mais esperada pelos donos de imóveis para faturar com o aluguel, mas a realidade sempre acaba se impondo”, afirma José Augusto Viana Neto, presidente do CRECISP, ao lembrar que a crise econômica deve continuar a ser um “limitador das ambições” de muitos proprietários. “A recuperação da Economia continua lenta, as famílias estão endividadas ou temendo fazer dívidas e o desemprego é a sangria que todos conhecem, contexto que pode reduzir a procura e forçar uma redução das diárias”, pondera.

Os mais baratos

As 30 imobiliárias consultadas pelo CRECISP também têm imóveis para alugar com diárias mais baratas este ano do que em 2017.  A que mais baixou foi das casas de 1 dormitório no Litoral Norte, que de R$ 575,00 caiu este ano para R$ 293,00, baixa de 49,04%.

No Guarujá e em Santos, no Litoral Central, a redução foi de 9,75%  para as casas de 3 dormitórios (de R$ 1.230,00 para R$ 1.110,00); de 5,26% para os  apartamentos de 1 dormitório (de R$ 475,00 para R$ 450,00); de 10,55% para os de 2 dormitórios (de R$ 521,00 para R$ 466,00); de 31,81% para os de 3 dormitórios (de R$ 1.100,00 para R$ 750,00); e de 9,09% para os de 4 dormitórios (de R$ 2.200,00 para R$ 2.000,00.

No Litoral Sul, podem ser encontradas casas de 2 dormitórios com diárias médias de R$ 416,00, valor 3,92% menor que os R$ 433,00 cobrados no ano passado. As de 3 dormitórios estão disponíveis a partir de R$ 590,00, ou 28,04% menos que os R$ 820,00 de 2017.
Fonte: CRECISP/Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *