Cláudia Dib Bate-papo com Socorro Mendonça

Maria do Socorro Mendonça, baiana “arretada” é muito conhecida em Peruíbe por sua atuação na área de promoção social e bem-estar, e por dedicar-se inteiramente dando apoio às mulheres vítimas do câncer de mama.
E não é pra menos, esta guerreira é profissional da área da saúde por mais de trinta anos acumulando uma vasta experiência como Enfermeira, Administradora Hospitalar, Técnica em Radiologia Médica, Gestora Pública, Jornalista, Empresária e Presidente do Instituto Dr. Bráulio Antônio de Mendonça”, carinhosamente conhecido como “ONG Amigas do Peito”.
Com toda esta garra, Socorro se engajou na vida pública e foi candidata a vereadora nas últimas eleições, sua votação garantiu a primeira suplência de sua coligação, por isso assumiu a cadeira da vereadora Milena Bargieri que se ausentou por 30 dias para cuidar de assuntos particulares. Confira os detalhes deste e outros assuntos do nosso descontraído bate-papo.

Com esta vasta experiência profissional na área da saúde, o que te levou a entrar na política?
Eu fui petista militante por vinte anos e nunca quis estar a frente, ser candidata, mas com o passar do tempo, com a atual circunstância do país, da Cidade, eu percebi que no Legislativo a possibilidade de ajudar o município é muito maior. Por exemplo, o teste da linguinha, o teste da orelhinha e outros que são de Lei Federal, é possível trazê-los para o âmbito municipal, trazendo mais respaldo para as mulheres de Peruíbe e realizando um sonho de fazer mais pela saúde da população.

Você foi vereadora por 30 dias, como foi esta experiência?
Como um todo, foi positivo, fiz uma média de 10 requerimentos e 12 indicações, vejo a Câmara como um órgão fiscalizador, e o vereador que realmente quer trabalhar e dar resultados para a população, tem que gostar de gente, tem que gostar do que faz, mas quando se trabalha em benefício próprio isso prejudica a Cidade, e o que vejo é muito benefício próprio.

Neste período você percorreu pelas UBS’s, o que você viu? Todas estão funcionando?
Eu andei por todas as UBS’s, UPA e AME e tenho hoje um relatório, um panorama de como está realmente a saúde do município, é necessário realizar urgentemente algumas mudanças administrativas e operacionais para seu pleno funcionamento. Por exemplo, com a Dra. Cláudia, a odontologia melhorou muito, não só em atendimento, mas, na qualidade do tratamento odontológico. E tem muitos setores que precisam melhorar e muito! A UBS da Torre precisa de mais atenção, e sabemos que se investir mais nas Unidades Básicas de Saúde não teremos uma UPA e o AME superlotados.

Percebo que você tem amor pela saúde, você é funcionária do Estado e se dedica muito pelo município, realizou uma grande transformação na Zoonoses, passou pelo CRÁS e se ausentou para assumir a vereança e agora com muita dificuldade luta pelo AME/UPA. Fale sobre isso.
Olhe Cláudia, são mais de trinta anos na área da saúde, sou Técnica em Enfermagem, Técnica em Raios-X, Administradora de Empresas, Gestora Pública, fiz Pós-Graduação em Gestão Pública entre os diversos cursos extracurriculares sobre medicamentos, hospital, liderança e gestão pessoa. Eu costumo dizer que para trabalhar na saúde você tem que gostar de gente. A saúde é muito dinâmica, ela não espera e quando uma pessoa procura uma UBS ela não vai por vaidade, ela não vai para ficar bonita, ela vai porque está adoecida e junto com ela está a família, e todos precisam de um bom atendimento. E este acolhimento vai diminuir a dor da família.
Em relação a Zoonoses, foi amor a primeira vista, nunca tinha trabalhado nesta área e aceitei o desafio, foram dias difíceis pois o Centro de Controle de Zoonoses estava deteriorado, sem ração, sem medicamentos e o grande diferencial foram os funcionários, o Sr. Nilton, o Juliano, o Natal e o Victor; Eles entenderam que era preciso mudar a realidade daqueles animais. E com apoio da população e principalmente a parceria com diversos empresários da Cidade, nós conseguimos entregar um bom trabalho e ter uma nova Zoonoses. No Fundo Social, trabalhando com Marcelo Lourenço, eu consegui dar andamento em quatro Projetos Sociais, a Padaria Artesanal, Escola da Beleza, Horta Comunitária e o Workshop da Moda.

Hoje vemos a população nas redes sociais reivindicando seus direitos. Como você vê essa movimentação das mulheres pedindo a Socorro no AME?
Eu acredito que isso seja um reflexo do trabalho dedicado a saúde e o reconhecimento destes últimos cinco anos de um grande trabalho da ONG Amigas do Peito onde fazemos acolhimento, acompanhamento das mulheres com câncer de mama, doação de prótese mamária, sutiã, almofada do coração, empréstimo de perucas e doação de lenços. Cláudia, eu respiro saúde, minha família respira saúde, eu criei meus irmãos trabalhando em hospital, trouxe minha mãe da Bahia trabalhando em hospital, meu ex-marido era médico, minha filha é médica, um irmão é biomédico o outro é técnico em Raios-X, minha irmã que faleceu era enfermeira então todos são da área da saúde e quando nos reunimos no final de semana falamos sobre saúde, vivemos saúde quase que 24 horas.
Dá sim para fazer muita coisa a um custo muito pequeno, a minha mão de obra, por exemplo, é de custo zero para o município. E a impressão que temos é de que alguns políticos não querem que a Cidade ande, não querem que a cidade melhore.

Você é atual presidente do Conselho Municipal de Saúde, mas a sua eleição foi conturbada, como foi isso?
Ali sim foi boicote, foi assim: Fui eleita Conselheira Municipal de Saúde representando a classe trabalhadora. Em abril de 2017 fui eleita Conselheira Estadual e Nacional da Saúde da Mulher em Registro/SP. E o então presidente municipal Sr. Genivaldo entrou com uma Resolução em que só poderia participar do Conselho Municipal de Saúde, quem fosse funcionário da saúde municipal e mesmo com uma votação de 7 votos a 7, ele conseguiu meu afastamento. Como sou ligada a área da saúde, tenho experiência para detectar possíveis erros, e realmente vi algumas aberrações nas contas da saúde de Peruíbe. Neste período em que fiquei afastada, Peruíbe infelizmente perdeu a vaga de Delegada Estadual e Delegada Nacional da Saúde, pois fui eleita democraticamente e nesta manobra do Sr. Genivaldo fui impedida de comparecer a Conferência de Saúde em Registro/SP. E quem saiu prejudicada foi a cidade de Peruíbe sem uma representatividade desta importância.

Para o município, qual a importância do conselho?
O conselho é um órgão fiscalizador, o da saúde é o único que é deliberativo, ele aprova ou reprova as contas(gastos) da prefeitura com saúde municipal. A concepção do SUS é linda! E um dos princípios mais importantes do SUS está relacionado com a participação da sociedade no processo de fiscalização dos recursos e do andamento dos trabalhos realizados no Sistema Único de Saúde. Por isso a importância da participação da população no controle e elaboração de políticas para a gestão de saúde na cidade. Deixo aqui um apelo aos munícipes, é muito importante participar das reuniões do Conselho de Saúde. A população merece uma saúde de qualidade sem passar pela humilhação de pedir esmolas, pedir favores aos vereadores. O munícipe tem que ser atendido sem o “jeitinho” do vereador, isso é o fim da picada!

E por falar em vereadores, você tem pretensão de permanecer na política?
É Cláudia, eu não resolvi ainda! Porque eu sempre ajudei as pessoas sem depender da política, mas eu percebi que na política eu posso ampliar minhas ações, por exemplo, eu consegui uma emenda através do deputado estadual André do Prado de 100 mil reais para a AAPPDP e outra de 200 mil reais do deputado federal Márcio Alvino que será destinada para o Anfito e para o Castramóvel da cidade.
A parte política me desgastou muito, se alguém me perguntasse, você quer ser vereadora ou trabalhar somente na saúde? Sem sombras de dúvidas eu diria, na saúde da minha cidade! Mas, onde eu pudesse realizar um trabalho para melhorar o atendimento aos munícipes. Porque dá para melhorar e com pouco investimento, mas é preciso querer realizar. Nestes 30 dias de vereança, eu fiquei indignada com a quantidade de pessoas pedindo favores aos vereadores. Dizem que uso a ONG para politicagem, não é verdade! Minha irmã faleceu de Neoplasia Mamária Maligna, ou seja, câncer de mama, minha mãe teve câncer de mama, eu tive há dez anos um módulo mamário, então eu conheço na pele a dor destas pessoas que atendemos na ONG. Minha luta não é política, é pela saúde!

Estão falando em terceirização da saúde, você é a favor?
É uma faca de dois gumes, o Hospital Guilherme Álvaro por exemplo, 60% é terceirizado e deu certo. É necessário analisar bem o serviço proposto e os detalhes do contrato e avaliar o custo-benefício para o município e o atendimento digno para a população, hoje temos um atendimento ruim com funcionários desmotivados onde de 15 profissionais 6 apresentam atestado médico, isso é um descaso com o munícipe, o que não acontece na terceirizada, o funcionário tem medo de perder o emprego.

Suas considerações finais?
Quero agradecer ao carinho que a população tem por mim, ao prefeito Luiz Maurício e ao Dr. Abude pela oportunidade de trabalhar no município. Agradeço a Julieta Prot e Sr. Laerte que nos acompanham a tantos anos, a Maria, e a todas as companheiras da ONG, a todos que acreditam em nosso projeto, hoje a ONG é um cantinho especial das mulheres de Peruíbe onde elas são acolhidas e trocamos muitas experiências. E lembre-se mulheres, vocês não estão só, conte conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *